Top Posts

Série Git na Prática: Atualização específica de um arquivo n

Continue lendo

Série NZ: Minha Experiência Intercâmbio – Auckland

Posted by camilolopes | Posted in Inglês | Posted on 03-10-2010

37


Ae! Pessoal,

Ainda tentando organizar my life, mas consegui escrever um post falando um pouco sobre minha experiência em Auckland/NZ no programa de intercâmbio. Espero com o post poder tirar as dúvidas daqueles que tem Intercâmbio como meta. Somente para adiantar, já digo que valeu cada centavo. É uma experiência inesquecível, ainda mais quando estamos usando o programa para vários objetivos: estudos, contribuição profissional, experiência de vida etc. Eu já tinha criado grupos de amigos japoneses, coreanos e criado um bom relacionamento com os funcionários da escola, principalmente com a coordenadora do meu curso. :)

Lets go…

Em outros posts eu falei um pouco sobre o meu processo e a viagem. Neste, pretendo fazer um resumo de toda experiência, buscando passar as informações mais importantes. Qualquer coisa basta comentar e eu respondo.

Já falei que fiz meu processo com eles, né?

bil

www.bil.com.br

Realmente é uma agencia muito séria e com um atendimento que não tem comparação, eu faria quantos intercâmbios fossem necessários com eles. Escolhi a Nova Zelândia por questão de custo x benefício. O fato do dólar NZ valer em média $1.44 aqui no Brazil e lá sair por um pouco menos (média de $1.22), já da pra poupar uma boa grana e curtir bastante.

O país é excelente! Os nativos e as pessoas são bastante receptivas (exceto aqueles que tem uma cultura bem fechada, como alguns indianos, chineses, etc). Mas nada demais. O país é seguro e organizado, tudo funciona por lá. Realmente parece coisa de filme, mas não é. Outro ponto é que apesar da pronuncia britânica o país tem hábitos americanos, você percebe muito isso. Um lance que achei legal que só via em filme era colocar a chave de casa embaixo do tapete, lá rola isso, afinal é um país seguro. Rola muito suicídio por lá hehe. Mas roubo, assalto, se tem eu não vi nem em noticiários. Fui em dois bancos e olha a surpresa…. sem porta giratória como antigamente. Sem falar os caixas eletrônicos – ATM na rua, não é como aqui (os aquários), e sim uma máquina simples na parede, sem proteção nenhuma, nem precisa. As pessoas andam com laptop (só rolava Mac) nas ruas, sentam nos bancos das praças e ficam lá com eles.

O sistema de transporte é bem organizado e funciona no horário comercial a cada 15min. E os ônibus são pontuais, você pode comprar um cartão RIDER e andar ilimitado durante 1 mês. Custa $120,00 NZ.

O país aposta nos esportes radicais. Para quem gosta, é excelente, eu não curto muito não. Alias, adoro ficar olhando… rs. Apesar de ser um país pequeno, há muita beleza natural para se ver, realmente você percebe a preservação da natureza em todo o país e isso não somente na questão de ver e sim no nível da educação das pessoas que moram lá, elas de fato se preocupam com a natureza e os animais, respeitam as leis de proteção, etc. Para vocês terem uma ideia, fiz uma pequena viagem com um nativo, só que no meio do caminho tinha um pássaro e ele pisou de vez no freio, somente para não atropelar o pássaro Achei loucura isso, pois a vida de quem estava no carro vale muito mais, ai ele falou : “a lei de proteção dos animais”.

E o inglês?

Excelente o inglês por lá, não tem como fugir não, é primeira língua de ponta-ponta. Então, imersão total mesmo, isso é excelente. Os nativos tem uma pronuncia britânica e nem sempre é fácil entender, mas é inglês, e também falam algumas palavras com pronuncia do inglês americano, isso varia muito, o problema está em entender os coreanos, japoneses e chineses, meu deus, horrível , a pronuncia deles complica muito, mas você acostuma.

E na LSI todos os professores são nativos e da área de educação, enfim são professores profissionais e não profissionais professores, em outras palavras, não dão aula por dar. E isso era visível em cada aula. Nunca vi passar tão rápido e eu ficar contando as horas para chegar o dia seguinte para a próxima aula.

Você vai passar por isso

Na primeira, eu queria porque queria falar em português, não conseguia ficar por muito tempo falando em inglês, ficava sufocado. Na segunda caiu a ficha e comecei a sentir vontade de voltar, pois no inicio você tem poucos amigos e começa a sentir falta das coisas aqui, mas é algo passageiro, espero que essa sensação passe (não é nada legal), porém faz parte do processo.

E ficar 30 dias compensa?

Essa é uma pergunta bem comum. Pela minha experiencia e o que percebi por lá, é o seguinte: compensa se você está no nível UPPER-INTERMEDIATE ou superior, menos que isso não vá, pois a grana investida é alta, com os benefícios para apenas 30 dias. A questão é que com um nível menor você terá muita dificuldade em entender os nativos, pode ter certeza, não será fácil entender se você não tem um bom listening e quando você não entende bem, já gera um bloqueio no speaking, isso é automático. Eu vi muitos brasileiros lá pre-intermediate, elementary, que saíram aqui do Brasil, falando mal dos professores e escolas daqui e foram na esperança que lá iam virar fluentes da noite para o dia. Isso nem em sonho. Só foram gastar grana mesmo, pois ninguém aprende um idioma em menos de 1 ano, começando do zero. E outra, se não ficar exposto de fato e ficar la falando em português, é pior ainda, maioria dos brasileiros que estão em níveis iniciantes, não falam em inglês por medo. Eu conversei com alguns brasileiros, mas em inglês.

Mas eu reforço, se está acima do upper-intermediate, vá na fé que você vai dar um UP legal, só depende de você. Eu, por exemplo, queria ficar mais tempo, fiquei muuuito arrependido por não ter fechado um pacote de dois meses e quanto tentei já era too late.

A comida NZ

Pessoal, eu não moro na NZ por preço nenhum! Falo morar definitivamente, a comida é ruim demais, eles não comem não, somente alimentam o corpo, não sei de onde tiram que aqui tem qualidade de vida, porque isso não existe não. Comem muito mal, péssimo mesmo. Eu achava que em SP a galera não se alimentava bem pela agitação que é, mas ai em SP todo mundo come bem ate demais. Aqui, por exemplo, a maioria das pessoas almoçam em Fastfood da vida, BURGER KING, KFG, Mc, etc. Primeiro porque é mais barato e segundo porque não há muita opção, só rola comida japonesa e chinesa… E quem suporta comer todo dia? Em uma churrascaria brasileira aqui, que não tem nada da nossa ai, um PF custa uns $30-40,00 e não dá nem meio kg! Self-service não é tão comum aqui não. Outro detalhe é que um PF (tailandês) custa media 10 dólares e não é um dos melhores, algo que nem sei se meu cachorro ia comer, do jeito que ele é enjoado. Enfim, quem vem pra cá tem que preparar o estomago, pois não vai encontrar moleza e o brasileiros é quem mais sofrem. Eu, tinham dias que era no pizza hut, burger king e por ai vai, almoçar de verdade não almocei não. A única coisa legal ainda são as frutas, preço parecido com o nosso. Aqui se for comprar em supermercado é um pouco caro, mas se for na feira é a metade do preço. Feira aqui é organizado e não se vê ninguém gritando.

Qual o valor do investimento

Separe um valor aproximado de R$ 10 mil reais, já incluindo o dinheiro que vai levar para gastar. O cálculo base:

  • passagem: 3 – 3500,00 (depende de quando comprar)

  • curso: 3-500,00 (curso standard 20 aulas por semana)

  • documentação: passaporte (se não tiver) 160,00

  • Leve uns 3 mil reais para 1 mês. Isso se você quer curtir o país de fato, visitar vários locais, baladas. Senão 2 mil é o minimo.

Uma empresa que eu recomendo é o pessoal da Action, (http://www.actioncambio.com.br) eu fiz tudo por telefone 4 dias antes da minha viagem, eles tem agencia no aeroporto de Garulhos e funciona das 5 da manhã até meia-noite. Para NZ é bom reservar  o money, pois nem sempre tem disponível na hora, então eu liguei pra eles reservei e também solicitei o cartão pre-pago. Fiz o DOC/TED para eles, confirmaram e eu só precisei passar na agência para pegar e pronto, bem mais fácil e rápido. Uma pessoa que teve um bom atendimento e cuidou de tudo foi atendente Vanusa. Gostei da Action, porque eles dão suporte a quem é de fora do estado de São Paulo de forma eficiente, mas há outras casas de câmbio também que fazem. Eu já virei cliente fidelidade deles. E na volta eles compram tanto o valor em espécie e no cartão pre-pago. Achei o cartão pre-pago melhor, pois não há taxas de IOF, porém recomendo levar o seu cartão internacional, caso tenha problemas com o cartão pre-pago.

Eu dei preferencia em ficar em host-family pois assim eu poderia praticar mais ainda o inglês ao chegar em casa. Querer ficar em locais mais baratos, como republica, não recomendo. Não ache que lá é o Brasil não, que quando chegar na republica vai conseguir fazer amizade facilmente. Alguns estudantes são fechados e não fazem amizade como nós brasileiros, que temos essa facilidade. Então eu vejo o host-family, como investimento, é mais caro, custa $220,00 por semana, mas compensa. Um detalhe, você só viaja com tudo pago, é exigência da escola e consulado. O dinheiro que está levando é para gastar e não pagar nada.

O visto

Para Nova Zelândia o visto é quando chegar lá, mas não tem erro, se tiver com a documentação ok, você tem o visto validos por 3 meses. Afinal de contas, eles dependem do turismo.

Documentos exigidos:

  • passaporte

  • comprovante: matricula, hospedagem, dinheiro, comprovante aéreo.

Na hora ele vai te perguntar o que tu vai fazer na NZ. “I am going to study english. Where? LSI School”. Peguei meu visto em 2min. Ele nem pediu pra ver a grana, ia mostrar, mas ele falou que estava ok.

As baladas

Bem, essa aqui eu não posso comentar muito não rs. A coisa lá é boa para os solteiros hehe. É, sem comentários, bem diferente que aqui no Brasil, eu diria que até melhor. Só peca que a mulherada lá não chega aos pés da mulher brasileira, pois as brasileiras são perfeitas. Porém, tem muita japonesa, coreana, indiana, tailandesa, nativa (kiwi), espanholas, que são bonitas. Para aqueles que gostam do “simbolo nacional” da brasileira lá não vai encontrar não, porém a mulherada lá tem uma sensualidade incrível mesmo. A balada é um pouco diferente, começa cedo e termina cedo, é habito cultural mesmo, somente uma festa vai ate 4 da manha, Margaridas Bar e essa aqui tem historia viu. É o point da galera e de todos os estudantes. É uma boate excelente, não paga para entrar só o consumo e tem a cerveja mais em conta 1L por $5,00 NZ. Tem o Mexican café que começa as 21-23 hrs e dia de quarta é brazilian day. Rola só forró nesse dia e toda quarta eu estava marcando presença. Enfim, antes que mandem um e-mail, mulher não falta em NZ e sem dificuldades rs. Fica sem quem quer ou não pode (meu caso). Porém, quem está acostumado com as noites de SP e Salvador por exemplo, que há varias opções ao sair de uma balada, infelizmente lá você tem poucas opções ou vai pra casa de táxi (depois do horário do seu ultimo Bus, alguns são 23 hrs, no máximo 00:00) se tiver acompanhando, faz companhia para a mina até o próximo ônibus dela.

Vou ficando por aqui, espero que tenham gostado! See you next post.

Abaixo algumas fotos: do meu quarto, homestay, friends etc.

eupraia

Related Posts with Thumbnails

Comments (37)

Legal pakas em Camilo…apesar de eu ser avesso a fotos minhas, rs, gostei das fotos q vc tirou e como vc disse não há coisa melhor do q nossas mulheres neh!

hehe luciano, eu tb sou, gosto muito de fotos nao, mas la em Auckland eu comecei a gostar, primeira coisa foi comprar uma camera digital, pq é incrivel o país e passar sem registrar eh um tiro no pé. hehe, e acabei acostumando e gostando de tirar algumas. Pow nem fale mulher brasileira, nao tem melhores nao.
abracos,

Poxa, muito legal!
Eu estou me planejando para ir pra Perth no inicio do ano que vem e com certeza as dicas desses posts me ajudaram :). Já estou no Upper-Intermediate, quero chegar no Advanced e concluir todos os exames da Cambridge.
Inicialmente vou pegar qualquer trabalho por lá, depois quero tentar algo na área de TI e fazer algum curso de TI por lá também.
Você chegou a ver algo por cima de como é o mercado de TI por lá?
Abraços

opa! joao,

hm que legal, hehe vc vai gostar de tudo, com certeza será uma experiencia, inesquecivel na sua vida. qualquer trabalho por lá nao falta nao. sempre tem. com paciencia acha. mas, como disse qualquer trabalho (trocar pneu, lavar carro etc) em Auckland eh o que rola mais, pois são trabalhos não feitos por nativos. Na area de TI eu achei um predio lá tinha outsource TI na faixada e outro que tinha IT JOB, bem, o que eu vi, é a faixa salarial nao é tão diferente da nossa aqui, se vc colocar na ponta do lapis, auckland tem um custo de vida mais alto que Brasilia e SP por exemplo, entao, juntar grana lá trabalhando com TI, nao é algo fácil, exceto se vc ficar preso em casa de fato. Bem, vi isso por cima, pois eu pensei em ficar lá, mas qdo vi que, aqui no brasil as oportunidades são melhores e ate a parte $$, principalmente nos projetos internacionais que tem aqui, acabei desistindo.

abracos e boa sorte nessa maratona, eu queria poder fazer isso de viajar e ficar meses morando fora do país, mas o “dever de casa” não deixa. 😀

Camiiiiiiiiiiiiiiilo,
Que experiência boa ki vc teve….eu até imagino com foi :) haha
Amei as suas postagens e as experiencia incrivel ki vc teve em NZ…Deus te abençoe sempre!!
Torço por vc amigão…kiss

Que experiencia Camilo, muito show o post e sabe que agora até aumentou a vontade de conhecer outros países.
O interessante é que após uma viagem assim você volta totalmente com outra visão das coisas (vida, trabalho, amizades, governo, etcs).

As fotos ficaram show inclusive aquele networking com a Loira. E cá entre nós vc é bem expertinho.. AHAHahah

Hugs,

O post está muito bom kra! beme sclarecedor! parabéns!
Só uma dúvida… na casa que vc ficou, só tinha vc de estudante ou tinha mais alguém?? tipo… mais algum estrangeiro que estava lá pra fazer o intercâmbio tbm

opa! joao, sim tinha outros estudantes, em média so 3-4 depende do tamanho da casa, na minha qdo cheguei tem uma chilena e uma japonesa, porem nao espere fazer amizade facilmente com eles, no maximo o contato formal mesmo e talz, eu fiz uma amizade com a chilena, mas nada como se faz aqui no brasil sacow? ela conversa do dia-dia, nada de vc te-la como colega pra sair. Depois, ficamos colegas de fato, e a japa no inicio era bem fechada, mas depois comecou a conversar na hora do dinner e talz, e por ai foi, mas eh bem diferente do que estamos acostumados qdo fazemos amizades com outros brasileiros aqui no brasil. E no final apareceu um mexicano, gente fina o cara, esse sim gostava de conversar e fazer amizade de fato. Bom, agora eu tive sorte de nao ter brasileiro na minha casa, e assim o aluno nao pode escolher aonde vai morar ele pode dizer o que nao quer, porem a escola tenta achar uma familia o mais prox. possivel, porem eh dificil. Eu mesmo falei que nao queria fumantes, mas eh dificil alguem nao fumar por lá, porem o pessoal da casa fumava no jardim e nao dentro de casa. outro colega tinha brasileiro na casa dele, pois a familia tinha contrato com outras escolas e por azar dele o outro brasileiro era de outra escola. A escola que estudei evita colocar brasileiros com outros brasileiros na mesma casa, desde q seja aluno dela, mas isso depende da estacao se for em alta temporada deve ser dificil, pq acaba ficando poucas vagas disponiveis, como eu nao fui em alta estacao ai tem mais vagas. Como brasileiros sao a minoria em relacao aos japoneses e coreanos ai dar pra controlar, os coreanos e japoneses que sofrem, pois eles de fato sao a maioria dos estudantes e muitos ficam la por media minima de 2-3 meses, sao poucos q vao passar a semana.
flw.

grande mario, pow nem fale da experiencia foi show mesmo, eh so indo mesmo pra saber o que qto eh bom. ahhh o networking com a loira heeh gente fina ela, sempre batia papo com a Tamara.
ahh era esperto mesmo, tinha que colocar o english em pratica e nada melhor que aproveitar os nativos.

abracos,

opa! mirian,
pow boa mesmo, será a mesma que terá qdo for para AUS hehe.
obrigado,
kisses 😀 see you….

Camilo
Eu creio nisso…eu creio que meu sonho se tornará uma realidade, pois o temos que acreditar. haha
Obrigada pela força ki vc está me dando no meus estudos, ok
Valeu Brooooooooooooo

Valeu Camilo por dividir suas experiências da viajem.
Muito legal 😀

Oi Camilo! Muito legal poder conhecer suas experiências e ver que elas têm muito a nos ensinar! Gostaria que me ajudasse a esclarecer uma dúvida: Como é que verificamos o nosso nível de inglês pela Cambridge? São exames que fazemos pela internet? Obrigada!

Oi, Camilo!
Li seu post pela English Experts, adorei seus comentários. Tive uma experiência de Intercâmbio também, só que em Cambridge/UK. Muito do que disse se parece com o que vivi, inclusive sobre a comida, kkk! Também fiquei pouco, em Host Family, e até pensei que era só comigo que tinha acontecido o “pós-intercâmbio”. Nossa, como é bom e ruim o retorno! Bom porque voltamos à nossa vida, nosso arroz-com-feijão abençoado, mas ruim porque não temos mais o que mais gostamos: o “speak english” total, aquela coisa que não tem pra onde fugir, e a coisa do primeiro mundo, que é sensacional, não é mesmo? Isso me afetou drasticamente, entrei numa deprê fora do normal. Com direito a tomar remédio e tudo…
Bem, estou melhor agora, mas estudando uma outra alternativa de intercâmbio, só que pra fazer um Mestrado na minha área – coincidentemente, parecida com a sua: sou Analista de Sistemas, mas sou Professora, e pretendo me especializar em Ensino à Distância. Vamos ver… Estou aberta à essas aventuras na minha vida!
Abraços, gostei muito do Blog!

Bom post Camilo!

Se liga, quero fazer um intercambio também.
A minha dúvida se vale a pena fazer um work experience… Será que aprende inglês só trabalhando?

Meu nível de inglês é intermediário.

vlw

olá Guilherme,
quem falou que se aprende ingles na escola? A escola eh um meio de fazer amizades e dai decolar, com certeza work experience, é melhor ainda, afinal de contas, vc terá co-workers e um boss (boring) hehe.
flw!!

Ildenice,
pow seu caso ja foi pior heim, eu nao entrei por pouco, mas foi dificil, cheguei no brasil stressado, com vontade de voltar, nada aqui eu gostava mais, e so o fato de que voltei a falar em portugues, fiquei mais triste ainda. Eh eu sentir falta do nosso arroz-com-feijao, meu deus, so assim valorizei nossa comida, pq la nesse ponto eh sofrivel, mas compensa em outros pontos hehe.
pro alto e avante!!
abracos,

ola Lucila,
Bem a respeito desse lance de nivel eu nao sei de ti falar, isso eh muito relativo, nao dar para medir o nivel de alguem apenas com teste escrito por exemplo. A escola que estudei eles faziam um teste no primeiro dia, de listening, grammar e speaking, eram testes da Oxford. Porém, para vc ter ideia que esse lance de nivelar eh complicado a escola apos o resultado eles deixam vc em uma turma temporaria, com base no seu primeiro resultado, e ate la vc nao recebe o material do curso, pois eles querem ter a certeza que vc está no nivel certo. Pois, eles sabem que no dia do teste há fatores externso que influenciam no seu resultado tais como: anciedade, nervosismo, etc. Então nada melhor que dar uma semana para vc acostumar e dai ter a certeza. Eles tem a certeza pq para turma q vc vai o professor vai avaliando vc o tempo todo, mas vc nem percebe isso.
Conheco pessoas que tem certificacao da cambridge, mas nao tem esse ingles todo, em termos praticos na comunicacao, e o que o mercado precisa. Essas certificacoes so servem para estudar fora, ou consegui um tipo de visto, para trabalho aqui no Brasil, nao tem influencia, pq o as empresas vao cobrar de fato mesmo é a comunicacao e fazer um teste na hora, se passar ja foi, tanto faz ter ou nao.
abracos,

Ok Camilo! Muito obrigada pela resposta!
Eu tenho essa dúvida, por não saber afirmar ao certo em que nível estou, e aumentou quando você disse que se a pessoa estiver abaixo de um determinado nível, não compensaria fazer intercâmbio fora. Pois, após ler seus posts aumentou ainda mais minha vontade de fazer um intercâmbio, ainda mais quando você especificou os custos, vi que não sai tão caro, se for comparar o custo/benefício…. Abraços! Lucila

Muito legal o relato da sua experiência, Camilo. Estudo Inglês há 8 meses e estou gostando demais.

Espero um dia também poder fazer um intercâmbio. Eu fiquei motivado ainda mais ao ver o resultado da sua viagem.

Don´t stop the top.

ola lucila,

o investimento é alto, pois gastar 10 mil em 1 mes, considero nada facil, nao sao muitas pessoas no brasil que tem esse salario de 10 mil liquido, e para tirar esse investimento liquido depender da area demora de medio/longo prazo. eu quis dizer de ir pra la com nivel baixo de ingles se for para ficar 30 dias apenas, algo como pre-intermediate, o tempo passa rapido por la, nunca vi, para que os dias vao de 2 em 2 e nao tem 24 hrs. para saber o seu nivel so um especialista mesmo e pessoalmente, esses testes online o maximo que vai conseguir eh saber como anda sua gramatica.

Entendi. Vou procurar um especialista para que eu possa fazer um teste pessoalmente, assim que eu tiver o resultado passo aqui pra te contar! Muito obrigada pela atenção! Abraços! Lucila

Camilo, parabéns pela experiência e pelas dicas.

Pretendo fazer um intercâmbio de 6 meses no ano que vem, e tenho algumas dúvidas a respeito de coisas do dia-a-dia, por exemplo, com roupa lavada e passada (é você quem lava e passa? ou está incluso no valor da home?).

Michel, isso varia e nao dar pra fazer uma previsao daqui. Porem, no geral há familias que lavam, pois eles usam a maquina de lavar, outras deixam vc usar a maquina e outras nao faz nenhum nem outro e vc terá que pagar fora pra lavar isso vai dar cultura das pessoas da casa de familia, vc nem sempre fica em casa de nativo, é comum ficar na casa de estrangeiros que falam ingles, como indianos, sul-africanos etc. Poucos, nativos fazem esse lance de host-family, mais quem eh estrangeiro e precisa levantar grana, pq estar la eh caro.
No home so ta inclusivo a refeição que normalmente sao 2 na semana e 3 fds, e a dormida e so isso. Mas, se tiver habilidade compre alguma coisa e vc mesmo prepara, porem como sabe tudo ja vem praticamente pronto.

Olá Camilo, bacana sua experiencia, conheci através do English Experts.
uma dúvida sobre seu relato, vc disse que a comida lá não é tão boa, mas nos mercados vendem alimentos “normais” rs tipo arroz, feijão, macarrão? pergunto pra saber se tem a opção de se cozihar em casa mesmo, alias vc acha que as familias (homestay) liberam numa boa se um eestudante estrangeiro ficar “usando” a cozinha deles para preparar seu próprio alimento?

olá Luciana,
Tem o mercado sim, mas tu nao acha com facilidade nao, principalmente o feijao, isso pq o país tem uma preocupação com alimentos de outros países e controlam, por questoes de braga, o feijão pode gerar uma praga e eles nao terem algo para combater, e acabar com tudo, por isso, q n encontramos muita coisa por lá.As familias liberam sim, ate incentivam, mas é dificil achar o que preparar mais proximo com o que temos aqui no Brasil. O arroz e feijao teve tanto valor na minha qdo estive lá, q nunca imaginei. ah, sobre a familia, depende de fato, algumas nao deixam, agora q lembrei. A minha liberava.
abracos,

Olá, Camilo! Tô superinteressada em fazer um intercâmbio de 2 meses pra NZ. Já fui atrás de preços, já pesquisei várias coisas na intenet, sou muito intíma de esportes radicais… enfim, se minha viagem der certo (só falta fechar com a agência) vou ficar em casa de família. Gosto muito de sair à noite, acha que seria algum problema, tipo, eles achariam ruim eu sair e tal ou sem problemas? Meu inglês é bom, já terminei meu curso há 1 ano e falo bem. Mais uma dúvida, existe dificuldade pra fazer amizade lá? Tipo, as pessoas são meio fechadas ou é todo mundo bem legal e comunicativo? E shoppings? Existem muitos?

Obrigada pela atenção.

Ola Camilo, fiquei contente em achar esse link com essas informações. Se Deus quiser, em Jan/13 estarei partindo para 30 dias de intercâmbio em Auckland e seus relatos só fizeram eu ficar mais convicto que devo viver essa experiência nessa cidade. Parabéns e obrigado pela ajuda que vc deu pra todos nós!

olá Isabella,
agência eu recomendaria a que eu fiz Bil Intercâmbios se quiser eu ti passo o contato da minha consultora que é excelente ela. Sobre os outros pontos que vc falou esquenta com isso nao. O pessoal lá é bem descolado, minha familia insistia para eu sair, viajar ir para baladas, é outra cabeça. Dificuldade n terá pois estão todos no mesmo barco, em 1 mes eu fiz tanta amizade que parecia que estava lá há anos. Essas suas dúvidas são normais, mas n pode impedir de vc viajar. Vá e seja feliz!! Tenho certeza q n vai querer mais retornar.

abracos e o que precisar só entrar em contato.

Camilo, como foi sua hospedagem lá? como que você agendou/pagou? esse valor você já inclui nos 10000? Muito interessante sua experiencia, espero um dia fazer uma parecida. Abraço

olá Felipe,
A hospedagem foi em casa de familia. Eu paguei tudo aqui no Brasil pela agência. É um pacote na verdade. Para viajar e conseguir o visto tem que ter a hospedagem garantida antes. Pois, a familia emite uma carta que tu apresenta na hora do visto. As familias, são registradas pelo consulado, ou seja, não é qualquer familia. E periodicamente o consulado visita essas familias, para fazer avaliaçao da casa etc. Se o estudante é menor de idade, eles são mais chatos ainda. A familia é responsável por vc no país, mesmo sendo maior de idade. O valor já incluiu familia + refeição (café da manha de seg-sex e fds café + almoco), tamém está incluso passagens. Na agencia que eu fiz, pode pagar em boleto ou cartão de credito. Com boleto, eles emitem a quantidade proporcional ao tempo de viagem. Exemplo: Se tu vai viajar daqui a 10 meses, eles podem emitir 10 boletos pra ti. Claro que há pagtos ai, que são taxas e tem que ser pagas à vistas, mas o que for referente ao curso de inglês, hospedagem e passagem aerea é possivel parcelar sem juros.
abracos,

Fala Camilo! Td bem?? Gostei do seu blog! Quero agradecer por ter tido paciência e tempo para relatar sua experiência. :) Seu blog, está muito rico em informações para quem deseja fazer um intercâmbio!! Assim, como vc, trabalho na área de TI, e quero fazer o intercâmbio, por questões de melhores oportunidades na área de TI. Está tudo programado para ser agora em Maio e no inicio estava na dúvida quanto a escolha de um país destino. Fui na feira de intercâmbio que aconteceu Março, organizado pela Belta! Nessa feira, puder esclarecer minhas dúvidas iniciais, tanto que fui nos dois dias da feira. No segundo dia, conversei com uma das organizadora da feira e ela mencionou que nesse ano eles estavam com foco na Nova Zelandia, pois em cada ano, um país é representado. A partir dae, me interessei por querer saber mais sobre NZ. E vi que haviam diversos fatores positivos para o intercâmbio! Bom, hj já escolhi a agência (NZEGA), que até o momento está tudo indo bem. A escola que vou estudar é a “Languages Internacional”. Pretendo ficar por 3 meses, se houver de estender por mais 1 ou 2 meses, quero ver se fico. Não pretendo morar lá, o foco é dar um “improve” na carreira!

Abs
Luciano

olá Luciano,

fico feliz em saber que meu post ajudou.NZ é fantastico, não me arrependo de cada $$ que gastei lá. E espero um dia poder retornar. Hmm ficar 3 meses era o que deveria ter feito, é uma das coisas que me arrependo de não ter feito, pois achei que 1 mês seria muito tempo. hehe. Boa viagem e qdo voltar conta sua experiência,

abraços,

Olá Camilo, primeiramente parabéns pelo post. Vc esclareceu todas as dúvidas que eu tinha..rsrs Estou procurando uma agência para fazer o intercâmbio no início do ano que vem e vi que vc ofereceu o contato da sua consultora na Bil Intercâmbios, tem como vc me passar o contato dela?

Obrigado e abração.

olá Allan,
obrigado! Fico feliz em saber que o post tem ajudado. o contato da Fernanda vendas1@bil.com.br

abracos,

Fala Camilo, tudo bom?
Gostei do seu blog… Em junho estarei indo pra Auckland, teria como você entrar em contato comigo por email para tirar algumas dúvidas, principalmente sobre a LSI. Abraços

olá Rafael,

pode sim,através da pagina de contato aqui no blog.

abraço,

Write a comment