Top Posts

Série Git:Usando Git no Windows

Continue lendo

Serie 2: Web Service, Aplicação & Benefícios

Posted by Camilo Lopes | Posted in TI/Review Livros | Posted on 13-10-2008

0

Salve! Salve! Dando continuidade a série Web Service, a de hoje é a ultima da série! Veremos os benefícios, arquitetura e como uma aplicação Web Service funciona.

Aplicação

O principal objetivo do Web Service é proporcionar a interoperabilidade entre sistemas distribuídos, independente da plataforma e da linguagem de programação utilizada, disponibilizando uma melhor interligação destas aplicações, como visto na figura 2.Esta interligação tem como princípio facilitar os processos de negócios, proporcionando a softwares isolados passarem a funcionar de forma conjunta com os demais. Um projeto bem elaborado busca a diminuir custos, aumentar a produtividade e uma maior oportunidade de rendimento.


Benefícios

Web Services traz diversos benefícios quando utilizados de maneira correta e bem sucedida.

– Os serviços são baseados em um conjunto de padrões da internet definidos pelo W3C, não requerem configurações especiais nos firewalls, pois o protocolo http, é o mas utilizado e atua como transporte na comunicação entre cliente e WebService;

– Possuem independência de plataforma, devido  ser baseado em XML;

– Outra característica que deve ser destacada é o reuso dos componentes pertencentes aos sistemas integrados, onde cada componente pode representar um serviço distinto, podendo participar de múltiplos sistemas provendo maiores benefícios imediatos e aumento da agilidade do negócio.

Arquitetura

A arquitetura do Web Service é baseada na interação de três personagens: Provedor de Serviços, Consumidor de Serviços e Registro dos Serviços. A interação destes personagens envolve as operações de publicação, pesquisa e ligação. Vejamos a definição de cada uma destas funções:

Provedor de serviços: o provedor de serviços é a entidade que cria o Web Service. Ele disponibiliza o serviço para que alguém possa utilizá-lo. Mas, para que isto ocorra, ele precisa descrever o Web Service em um formato padrão, que seja compreensível para qualquer um, que precise usar esse serviço, também publicar os detalhes sobre seu Web Service em um registro central que esteja disponível.

Consumidor de serviços: qualquer um que utilize Web Service criado por um provedor de serviços é chamado de consumidor de serviços. Este conhece a funcionalidade do Web Service, a partir da descrição disponibilizada pelo provedor de serviços, recuperando os seus detalhes através de uma pesquisa sobre o registro publicado. Através desta pesquisa, também o consumidor de serviços pode obter o mecanismo para ligação com este Web Service.

Registro dos serviços: Um registro de serviços é a localização central onde o provedor de serviços pode relacionar seus Web Services, e no qual um consumidor de serviços pode pesquisá-los. O registro dos serviços contém informações como detalhes de uma empresa, quais os serviços que ela fornece e a descrição técnica de cada um deles.

Portanto, o provedor de serviços define a descrição do serviço para o Web Service e publica esta para o consumidor de serviços no registro de serviços. O consumidor de serviços utiliza a descrição do serviço publicada para se ligar ao provedor de serviços e invocar ou interagir com a implementação do Web Service.


Comunicação entre as camadas

A comunicação entre aplicações de Web Service fazem uso de quatro camadas que empacotam a requisição e a resposta entre um servidor e um cliente. As camadas utilizadas são:

XML (Extensible Markup Language)
SOAP (Simples Object Access Protocol)
WSDL (Web Services Definition Language)
UDDI (Universal Discovery Description Integration)

Bom pessoal! Vou ficando por aqui! E espero que tenham gostado de mais uma série do blog! E até o próximo post!

Related Posts with Thumbnails

Write a comment