Serialização em Java

Salve! Salve! Pessoal. Hoje vou falar de um assunto que é cobrado na certificação SCJP e que é está dentro de qualquer bom livro de Java básico. Serialização: para que serve? O que é isso? Não consigo entender a essência desse recurso?

Tentarei no post de hoje, buscar explicar  o processo de serialização.  Como envolve códigos nesse post, achei melhor colocar os códigos com a sintaxe grande para download. Assim evitando um post imenso devido aos códigos.

 Let’s GO… 

A serialização resume-se em um único objetivo salvar, gravar, capturar o estado de um objeto. Ou seja, tenho um objeto de uma classe e quero salvar seu estado uso serialização, pois quando quiser usar  esse objeto com seu ultimo estado gravado é somente des-serializa-lo.

Mas por que usar isso?

Usar serialização permite o seguinte: você cria o objeto  ou uma variável de instancia de uma class  e quer gravar em um arquivo para futuramente utilizar esse objeto/variável com seu estado que foi gravado, então basta usar serialização pelo seguinte motivo:

  • Lembre-se: quando o construtor é executado os valores são perdidos objeto = null, e os tipos primitivos recebem seus valores padrões.

Com a serialização isso é quebrado a partir que serializo um objeto ou uma variável de instancia seu valor é gravado(em um arquivo), armazenado e futuramente posso obter esse valor através da des-serialização.

Um exemplo básico do código de serialização e des-serialização de objetos.

import java.io.*;

 class Cat implements Serializable{} //1

class SerializeCat{

 public static void main(String args[]){

 Cat c = new Cat(); //criando o objeto

   //aqui vou serializar meu objeto da class cat

   try{

   FileOutputStream fo = new FileOutputStream(“test.ser”);

    ObjectOutputStream oo = new ObjectOutputStream(fo);

        oo.writeObject(c); // serializo objeto cat

         oo.close();

  System.out.println(“Class Cat – object serializado com sucesso”);

       }

    catch(Exception e){e.printStackTrace();}                            

           //des-serializo o objeto

       try{

          FileInputStream fi = new FileInputStream(“test.ser”);

          ObjectInputStream oi = new ObjectInputStream(fi);

                c =(Cat) oi.readObject();

                  oi.close();

           System.out.println(“agora ele foi des-serializado com sucesso”);

              }catch(Exception e){e.printStackTrace();}                          

                }}

//1 criei uma class Cat que implementa a interface (marcadora) Serializable (essa interface  não possui nenhum método a ser implementado)

//ObjectxxxStream é a classe que possui o método mágico de serialização write e read – Object.

//writeObject –> serializa objeto depois escreve o objeto ja serializado no arquivo

 Herança  e Serialização

Quando temos uma subclasse que herda tudo da sua class pai o que acontece com serialização? Nesse caso temos uma pequena regra a seguir, se sua class PAI, implementar Serializable então a sua subclasse implicitamente já  faz Serializable.

Agora se sua classe PAI, não implementa Serializable e sua subclasse implementa então apenas  os objetos da sua subclasse vamos serializar o da class PAI infelizmente terá seus valores iniciais ou padrão. Um exemplo prático:

class Animal{}

class Dog extends Animal implements Serializable{}

No exemplo anterior apenas Dog é serializado.

 Um exemplo mais prático:

class Foo implements Serializable{

int num = 3;

void Num(){num=10;}

}

A class Foo quando for serializada e rodar o método Num() ela vai gravar o valor 10 para a variável int que criamos e quando for des-serializada é ideal que ela mantenha esse valor.

Tenha em mente:

Um objeto des-serializado nós NÃO:

-Queremos que a inicialização normal rode.

-Não queremos que os construtores rodem.

-E não queremos que os valores explicitamente declarados sejam atribuídos.

 Na verdade QUEREMOS apenas um retorno do estado que foi gravado, serializado.


 
Serialização não estar para static  

Quando se diz: “A serialização não está para static” isso não quer dizer que seu código não vai compilar ou vai lançar alguma exceção caso tente serializar uma variável static. Simplesmente diz que não é possível gravar o estado de uma variável static. Mas por quê?

 Devido à variável static não ter objetos, ela pertence à class. Ao contrario das  variáveis de instancia que pertencem a um objeto. Sabemos que static o valor da variável é compartilhado para todos então se serializo 10, mas depois altero o valor para 20. Então  na des-serializacao retorna 20 já que não temos instancia nenhuma do static ele vai trazer o ultimo valor.

Exemplo prático

Algumas regras importantes:

– modificador Transient:  ignora o objeto ou variável durante a serialização, isso aqui não vai serializado. (exemplos veja)

– Caso o arquivo especificado na des-serialização não exista ele não é des-serializado e então acontece a serialização mais uma exceção é lançada por o arquivo não existir

– as classes precisam implementar a interface Serializable para que os seus objetos possam ser serializados (exemplos veja).

– Se a superclasse implementar Serializable, então as suas subclasses também a implementam automaticamente.

– Se  a superclass não implementar Serializable, então quando um objeto da subclasse for des-serializado o construtor da superclasse será executado.

– Se sua class serializable tiver referencia para outra classe que não eh serializable uma exceção ocorre em tempo de exceção.

– Posso serializar apenas objeto (autoboxing funciona primitivo >> objeto)

– ObjectInputStream à ler e dês-serializa

– ObjectOutputStream à escreve e serializa

 

Essas são algumas regras e funcionamento de Serialização, espero ter tirado as duvidas e contribuído para o aprendizado. Um abraço a todos! E até a próxima!

 

10 comentários em “Serialização em Java”

  1. Pingback: Outros Modificadores «

  2. Pingback: Post mais Acessados! « Java - Blog Camilo Lopes

  3. Muito bom o artigo, simples e objetivo… estava procurando por um artigo desse para me dar uma luz. agora vou voltar ao livro da K&B para terminar com o capitulo… hehe

    Abracos!

  4. Felipe Grillo

    Camilo muito bom cara, excelentes tutoriais teus, gostaria de saber, nas serializacoes quais os “erros” mais comuns, e os que mais nos matam na hora da prova, sobre os erros de compilacao com serializacao se tu puder passar isso para gente seria de grandissima ajuda.

  5. Felipe Grillo

    Camilo, boa tarde havia lhe perguntado sobre alguns errinhos entao pesquisei, e percebi que basicamente se tiver uma classe que nao implementa serializable e eu possuir em minha classe ao qual serializarei os objetos dela uma variavel de instancia do tipo desta classe que nao implementa serializable, nao tem nenhum problema deste que nao use new nesta variavel isso gerará o erro de compilacao.

  6. Felipe Grillo

    Camilo olha eu de novo..cara fucando em meus arquivos de SCJP achei um resumo em teu nome quem tem basicamente tudo e muito bem explicado sobre todos topicos de scjp, parabens. minha duvidas estao sendo respondidas por ele

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *