Top Posts

Série Git na Prática: Trabalhando com branch

Continue lendo

Série AngularJS: Usando Yeoman com AngularJS

Posted by camilolopes | Posted in AngularJS, Series | Posted on 10-07-2014

0

yeoman

Olá Pessoal,

No post de hoje vamos ver como usar o Yeoman com AngularJS.  Eu falei sobre o Yeoman rapidamente nesse post.

Lets go…

Step 1

Para o ambiente Windows, você pode ter o Gitbash instalado com suporte a execução de comando linux/unix. Instale também o NodeJS.

Step 2

Agora abra o Gitbash e digite o comando

 

yoemaninstall

 

Ao terminar

yoemanfinishedinstall

 

Step 3

Para ter suporte à criação de projetos com o angular, precisamos instalar o generator para o framework.

yoemaninstallangular

 Crie uma pasta algo como yeomandemo. Entre nela e digite

 

 Responda Y

 

E escolha a opção:

 

E vá respondendo às perguntas.

yoemanangularsetup

Pronto, seu projeto foi criado. Para entender a estrutura há um post completo: http://www.sitepoint.com/kickstart-your-angularjs-development-with-yeoman-grunt-and-bower/

No meu github coloquei um exemplo do projeto demo que fiz com yoeman gerando o projeto com angular https://github.com/camilolopes/workspaceAngularJs

Abraços. See ya!!!

Série Continuous Integration: Automatizando banco de dados com flyway plugin

Posted by camilolopes | Posted in Jenkins, Series | Posted on 07-07-2014

0

Olá Pessoal,

No post de hoje vamos ver como automatizar a criação do Banco de Dados usando o Jenkins + o plugin flyway via Maven. Aqui na ITS usamos Continuous Integration e Continuous Delivery em todos os projetos, respiramos isso. Não apenas por ser algo “bacana tecnicamente”, mas pelo valor que é entregue aos projetos e para empresa também.

Lets go…

Cenário

Iai, quantas vezes você já teve que falar: “ah, agora vai para o ambiente de dev e tenho que gerar toda base de dados, e vou levar pelo menos 30min”. Pois é, aqui já tivemos esse cenário enquanto estávamos validando qual ferramenta íamos usar e, para não sair usando qualquer coisa, o ideal era fazer manualmente, mesmo consumindo media de 30min para ter todo banco pronto antes de fazer o deploy da aplicação no ambiente de DEV.  E se uma tabela sofre alteração? E se preciso replicar a mesma tabela em outro ambiente? Quanto tempo levaria?  Acho que já percebeu o problema aqui, certo? 

Pensando em resolver esse débito técnico, conhecemos o flyway. Na verdade já falei dele em outro post, mas agora vamos integrar o flyway com o Jenkins que nos permite ter um job que vai executar apenas a criação das tabelas.  

Vou me limitar apenas em configurar o Flyway no Jenkins e eu assumi que você já tem ele configurado no pom.xml do seu projeto. Caso não tenha feito isso, confira o post que falei em específico sobre como usar o plugin.

Requisito

Antes de mais nada, crie um arquivo .sql  que crie uma simples tabela no banco de dados, e nas configurações do pom.xml garanta que o usuário tem as devidas permissões.  O arquivo .sql deve estar na estrutura esperada pelo flyway.

Starting…

Passo 1

Crie um novo Job no Jenkins, dê um nome ao job e escolha Build a maven2/3 project.

jenkinsdbscript

Passo 2

Agora precisamos informar a url do repositório do projeto (no meu caso está no github).

jenkinsflywayconfig

Informamos a branch, que pode ser deixado em branco e será considerado a master.

Não é requerido que seu projeto use o Git. Pode ser SVN ou qualquer outro controlador de versão, desde que você informe o repositório do projeto.

Passo 3

Em pre-step vamos executar um clean e compile e por final exibir o status de execução do flyway, ou seja, saber qual script será executado.  Lembre que o compile é requerido pelo flyway.

Passo 4

Agora em build deixe assim:

jenkinsflwyaybuild

É esse cara que faz a mágica de criar as tabelas, ou seja, ele vai executar o(s) arquivo(s) .sql.

Passo 5

É isso apenas. Agora vamos buildar o projeto e esperar que a tabela seja criada. Acompanhe pelo console.  Outro ponto importante é garantir que o banco de dados está rodando. Parece óbvio, mas nada impede de esquecermos de iniciar o DB. Salve as alterações e clique em build now.

 

Resultado

Olhando o console vamos ver o seguinte (claro que será diferente do seu):

jenkinsbuildinfosuccess

No meu caso já tinha outros .sql executados, mas na última linha observe que está marcado como future, ou seja, que será executado. Esse é o resultado do comando que colocamos no pré-step, e como deu tudo certo aqui, vamos ver o resultado do build.

jenkinsflywaybuildok

Agora acesse seu banco de dados e o esperado é que a tabela tenha sido criada. Analise o tempo que levou para execução do script. Quando trabalhamos com projetos pequenos parece que ter esse trabalho de configurar e criar uma build para esse fim é como se fosse inútil, que fazer manualmente seria mais rápido, porém pode acreditar que o investimento feito no tempo de setup e configuração é muito menor que os problemas que passamos quando fazemos criação de base de dados manualmente.

Simples, não? Espero que tenham gostado do post.

Abraços, see ya!!