Top Posts

InfoQ: Entendendo como funciona a SCJP

Continue lendo

Minha Experiência Profissional em Londres

Posted by camilolopes | Posted in Inglês, TI/Review Livros | Posted on 13-05-2013

3

 

 DSC01975

Olá Pessoal,

No post de hoje quero compartilhar com vocês mais uma experiência internacional à trabalho. O objetivo é poder dar dicas e o que aprendi nessa minha viagem. Quem sabe amanhã não seja você e alguma de minhas dicas possa ajudar.

Lets go…

 

A viagem

O objetivo da minha viagem era para treinamento e reuniões com o cliente sobre o projeto do Brasil e entendimento da área de negócios. O inglês britânicos é bem confortável de entender, mas é preciso se concentrar, pois depender de que parte da Inglaterra ele é, as vezes fala muito rápido ou “pra dentro” percebi isso com quem não era de Londres. No meu caso, eu tinha contatos com indianos e britânicos. Os britânicos bem receptivos e educados. Eu me sentia em casa.Fiquei por 3 semanas que passaram em uma velocidade incrível.

A cidade

IMG_2561

Bem, acho que não tenho muito o que falar da Europa e ainda mais de Londres. Mas, um overview  é uma cidade fantástica. Tudo funciona bem. E super limpa e organizada. Porém, extremamente cara para quem está aqui e fazendo a conversão de moeda. Dizem que não pode fazer a conversão de moeda, eu discordo. Se vc viaja a turismo tem que fazer sim, mas se vc mora aqui e recebe em Libra, daí não tem que fazer. Mas, quem vem a passeio tem que colocar uma boa grana em reais para ficar aqui e não passar vontade de nada. Por exemplo, um café da manhã mais barato que conseguia para duas pessoas custava em média 14 libras que vai dar R$ 42.00 reais/dia.  Não é caro para quem está à turismo?Mas, é uma cidade fantástica.  Tem que está na sua lista.

Minha Experiência à trabalho

Essa aqui, tem melhorado cada dia, passar o dia com os nativos não tem preço, você sempre aprende e ver que para melhorar o idioma, tem que respirar ele. Não tem outra forma se não for essa. Para conseguir um certo nível as escolas ajudam, mas se quer ganhar “fluência natural” do dia a dia, tem que está em um país de língua inglesa. No meu caso, tinha alguns dias de reuniões outros de interação com o  time etc. O ritmo aqui é bem diferente, o pessoal chega senta na sua mesa e manda bala, poucos conversam ou interagem, exceto quando há interações por está usando Agile, mas naturalmente você ver pouca interação. Achei isso estranho, mas  me parece que eles conversam mais por algum comunicador interno que presencialmente, mesmo a equipe estando fisicamente no mesmo local, o uso de comunicadores era forte.

Como a minha viagem é divida entre parte técnica e negócios, então a experiência e aprendizado que fica é viver nos dos mundos e com o segundo idioma, se eu falar que é fácil, estaria mentindo, mas é preciso. Uma técnica que gosto de usar é assistir canais locais para poder se acostumar com o sotaque, o jeito de falar etc. Entrar no dia a dia deles, é uma boa forma de se sentir mais confortável. Isso é valido independente do nível de inglês que você está, pois língua não é algo estático. É muito dinâmico.

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho aqui é como o Brasil, falta profissionais qualificados é muita oportunidade e os salários excelente um programador pleno aqui em uma empresa que gosta de pagar mal, está ganhando em media de 25-30 mil libras por ano. Em uma empresa que paga o valor correto, ele vai  ganhar entre 40-44 mil libras por ano + benefícios. Esse valor está acima da faixa do mercado. Um garçom me falou que com 20-25 mil libras por ano vc vive normal. Acima de 30 mil libras por ano, no caso dele é só para cargo gerencial.  Conversei com uma headhunter enquanto estive aqui, e ela me disse que o maior problema é que poucas empresas estão elegíveis para  o sponsor ou as que são não querem dar. Só em ultima instância.  Mas, é um mercado bom e quem conseguir uma vaga aqui, realmente é uma experiência das melhores e com um bom salário (com relação ao Brasil). Mesmo o custo de vida ser alto, ele paga todos os custos e sobra (se você não for de farra diárias). A dica é se um dia você tiver a oportunidade para trabalhar aqui na nossa área, mesmo que você pague os custos de mudança, por favor não diga NÃO.

As compras

IMG_2500

Compras em London  eu digo que compensa. Mas, depende o que você quer comprar. Roupas por exemplo as de marcas como Hugo Boss, Polo, Ferrari etc. Essas ai, o preço com relação ao Brasil a diferença é pouca, nas loja que fui, a diferença  era as vezes de 50 reais ou até o mesmo preço. Mas, se você quer comprar o mesmo estilo de roupa de outras marcas não famosas mas com qualidade você encontra com uma boa diferença com relação ao Brasil. A Oxford St é uma das ruas mais famosas para compras, mas nem tudo está lá, há realmente bastante promoção e daí tem que olhar loja em loja e analisar.Enfim, para quem gosta de ir as compras e tem paciência tudo bem. Na Oxford St você encontra uma das lojas mais famosas  Primark, lá os preços são bons e a qualidade vai variando muito, vende de  tudo. Outra loja que eu fiz compras foi SportDirect (www.sportdirect.com), muita promoção e preços excelentes, camisas da Adidas, Puma, Nike custando menos de R$ 60 reais.  Mais caro dessas marcas custava uns R$ 90 reais, certamente porque era lançamento. Uma dica, comprar pela internet é mais barato que ir na loja deles, e nem todos os produtos que tem na loja virtual, estão na loja física. A entrega foi no prazo e tranquila. Eletronicos, eu fui na maior loja de brinquedos. E fiquei louco lá, quem for e levar o filho, prepara o cartão de crédito, porque é de deixar qualquer louco. Xbox  estava custando R$ 350.00 reais e PS3 500,00 com jogos. A questão é que comprar esses aparelhos na Europa só funciona com jogos para Europa, se você compra um jogo nos Estados Unidos, não vai rodar. Foi a informação que obtive e confirmei com o vendedor. Visitei uma loja da Apple e os preços estão bons, o MacPro no Brasil do mesmo modelo que custa R$ 4.300,00 aqui estava por R$ 3.000,00 reais. Que economia heim?

Enfim, achei Londres uma cidade barata para essas coisas, mesmo com a moeda deles valendo mais que a nossa, e se você mora aqui e ganha na moeda dele, pode comprar essas coisas com mais facilidade pagando menos.

Turismo

Essa parte aqui nem se fala, heim. Realmente o que não falta é lugar para passear. Depender onde você ficar hospedado pode conhecer muitos locais turístico apenas caminhando, claro que são longas caminhadas as vezes, mas que nem dar para perceber devido a beleza da cidade. Os museum a maioria  a entrada é free, você apenas faz uma doação. É impossível visitar um museum e não deixar uma contribuição, devido a organização, infraestrutura, e sem falar que culturalmente rico.  Brasileiros que estão  a passeio por aqui, tragam bastante dinheiro para essa parte aqui, porque a visita no museum por exemplo custa R$ 60,00 reais em média por pessoa (adulto). Então já viu que no nosso caso é caro.  Eu busquei conhecer o que pude dentro do tempo que tinha, e por estratégia adotei conhecer o que estava mais próximo e poderia ir a pé. Assim já conhecia, como eu não estava aqui para turismo e sim à trabalho usava o final de semana para fazer isso.

DSC01990

A comida

Essa aqui é cruel demais. Acho que na primeira semana já tinha ganhado uns 2kg. No meu caso que adoro tudo aquilo que o médico proíbe fica difícil apenas comer algo saudável, alias sem falar que um lanche saudável custa mais caro que um tradicional, então prepare-se um bolso para isso. Porém, as refeições são bem servidas. Você pede algo nunca espere vim pouco, mesmo que seja um starters. Há muitos restaurante e depende do quanto você quer gastar, em uma steak house duas pessoas vai deixar em media 50.00 libras que vai dar uns R$ 150.00 reais. É caro almoçar nas steaks é tanto que elas ficam lotadas nas sextas e sábados.  Mas, há uma rede de restaurante chamado Garfunkel que é excelente. Tem  breakfast, lunch e dinner. Atendimento excelente e uma boa refeição. Eu praticamente estava quase todos os dias lá.  A media que se gasta no café da manhã com suco é umas 6 libras/pessoa. Eles são os mais baratos de restaurante, só perde para os BurguerKing, Mac etc. Não se espante de encontrar brasileiros trabalhando na rede do Garfunkel, na verdade a histária do Garfunkel é que foi construída na mão de muitos brasileiros trabalhando como garçom, na cozinha etc.  Uma dica e motivo  eu gostava de comer ai era que, você recebe um cartão para a próxima refeição, que às vezes era um desconto de 20% e outras vezes eram pontos. Daí você acumula e ganha dessert ou starter até atingir o prato principal. E que não é difícil, basta ir 5x ao restaurante e garanto que você irá mais.

IMG716

IMG_2843

Conclusão

Londres realmente é um lugar fantástico, e quem vem não tem vontade de retornar. Devido a segurança, qualidade de vida, educação etc. Apesar do custo alto de vida, mas ganhando em libra e sendo uma pessoa financeiramente educada é possível viver no país. O custo de vida gira em torno de 20 mil libras por ano para viver na faixa, considerando uma pessoa solteira. Para nós de TI temos uma grande vantagem que a faixa base de salário para desenvolvedores está girando em torno de 30-35 mil libras  no pior caso. E isso já está acima  do que pessoas comuns ganham trabalhando na área de serviços tais como: faxina, garçom, cozinha etc. 

abracos, espero que tenham gostado do post.

see ya!!!

Minha experiência IELTS General Module

Posted by camilolopes | Posted in Inglês | Posted on 13-12-2011

38

olá Pessoal,

Estive sumido do blog por um pouco mais de 1 mês, na verdade o ultimo post foi em outubro. Quase dois meses. O motivo? Estava estudando para o IELTS. Claro que não por dois meses, mas tive que 1 mês antes de iniciar os estudos concluir algumas coisas para poder focar 1 mês só no exame. Ah o que é IELTS? Para quem não conhece vou explicar o exame e para os que já conhecem fica mais uma experiência de quem já foi torturado.

Lets go…

O que é o IELTS?

IELTS é o exame de proficiência em inglês para quem deseja migrar para outro país seja para trabalho ou estudo. Países como Nova Zelândia, Austrália e Canadá usam o IELTS como required para poder conseguir o visto de residente.

O visto ti dá direito de poder trabalhar legalmente no país, abrir empresa, construir família etc. Enfim, é um visto dos sonhos.Um detalhe que quando tiramos um visto se você casar sua esposa automaticamente ganha o visto tb.

Como é o IELTS Exam?

Bem a prova é composta por Listening, Speaking, Reading e Writing. Cada uma com valor de 0-9. Para os que acham que é uma prova qualquer, vai se enganar. Eu não sou fluente em inglês, mas já vi quem é fluente rodar no exame e quem não é passar tranquilo. Por que ? Simples, conhecer a estrutura da prova e saber gerenciar bem o tempo durante o exame é o fundamental.A seguir falo de como é cada parte:

Listening: Você pode se comunicar em inglês e entender bem no mundo real. Mas, no exame se você não consegue ter um Listening para “o especifico” é o mesmo que nada. É isso mesmo, eles testam todo tipo de contexto com listening, uma hora quer que você saiba que palavra foi dita exatamente(se falou no plural e você escreveu no singular, perdeu a questão, dureza né?), isso nas questões de completar. Outro detalhe não espere que vai ouvir a frase e a que está missing sendo dita no espaço branco. Às vezes tem isso, mas não para todas as questões. O que você precisa entender é que na maioria das vezes ouvir o que foi dito e se preocupar com os sinônimos e ver se é aceitável. Tem ficar esperto com isso. Um detalhe para facilitar o inglês usado é formal, pode ficar tranquilo que não ter gírias regionais ou coisa parecida.

Há outras questões que temos uma discussão sobre determinado assunto e você precisa marcar o que foi dito, mas as respostas foram escritas levemente diferente do que você ouviu.

Exemplo:

Teve um dialogo onde o Speaker falou que ele queria ser militar porque ele gostava,apesar do pai dele já ser um. Mas, não era por isso que ele queria ser um militar.

Nas alternativas eles afirmavam e tentava confundir que o Speaker queria ser porque o pai dele já era militar. Se você não entendeu bem o dialogo ia achar que era verdade. E ia perder uma questão.

Speaking: uma entrevista de 11-15min com o examiner. Ele/Ela vai analisar o quanto você consegue se comunicar com clareza, objetivo e uso apropriado da gramática. Tudo isso no menor tempo possível. A dica aqui é ficar relaxado e praticar antes(eu praticava tomando banho, voltando do trabalho). As perguntas são em ordem e dá para ter uma ideia:

  1. sobre você

  2. ti dá um tópico e você precisa falar sobre aquele tópico por 2 min.

  3. Em sequencia ela entra nos detalhes do que você explicou no tópico anterior

  4. vai para outro tópico relacionado

  5. finaliza

Reading: esse aqui não tem que ler todos os textos, e sim passar o olho, buscando as palavras chaves, uma dica é que normalmente as respostas estão em sequência se para primeira pergunta tu achou no paragrafo 1, da pergunta 2 certamente estará no paragrafo 2 eou no póximo. Tem 60min para responder as 40 questões. Parece muito? Pode ter certeza que não é. Nem vai conseguir revisar. E outra não tem tempo extra para passar a resposta para o caderno de resposta. Então se você responder no caderno de rascunho e pensa em depois passar para o caderno final, esqueça senão vai zerar seu reading test. Responda direto no answer sheet. Uma vantagem que a maioria das respostas tem que ser de lápis.

Writing: Esse aqui é tranquilo se você praticou. Eu pratiquei bastante. Parece ser fácil esse ne? Não é. Você precisa entender como o examiner quer ler seu texto(no material de estudo que usei dizia isso e foquei nisso), usar táticas de escrever rápido e eficiente (aprendi isso em um mês. Eu não sabia, mas é possível). Eu pratiquei isso bastante, lembro que nos meus primeiros writing, eu estourava o tempo e não escrevia nada com nada. Precisa ser objetivo, e escrever estruturado para qualquer assunto.Isso tanto a letter(150 words) quanto essay (250 words). Atingir o número de palavras é essencial, pois afeta sua nota. Há técnicas para isso eu usei as dicas da Simone e de um site que achei no velho Google. São 60min para escrever as duas cartas, eu reservei 20min para a letter e 30 min para o essay, usei os 10min para revisar. Era assim que fazia em casa.

Como tudo começou

Bem, nada foi planejado. Nada. Conversando com um colega que foi para Austrália esse ano o Eduardo. Ele começou a me motivar. Apesar que morar e trabalhar com TI fora do país é um dos meus sonhos e a conversa com o Eduardo só fez eu ativar isso por agora. Daí fui entender como é o processo de migração etc. Foi quando conheci o IELTS e resolvi fazer só para saber como estou. Certamente não passarei com a nota que preciso para dá entrada no visto. Falarei disso mais na frente.

Minha Preparação

Não posso dizer que foi fácil, tive que abrir mão de muita coisa durante 1 mês, quebrar outros estudos dentro do meu plano de carreira. E parar tudo para focar só no exame. Estudava todos os dias, alias quase todos, porque tinha dia que ficava desmotivado e nem tocava no livro. Mas, eu tinha um plano de estudo semanal. Sabia o que ia estudar por dia/semana. Como o tempo era curto, sempre fazia as coisas com um timer. Se estourasse o tempo, parava de fazer. Era auto-correção. Se eu não atingir dentro do tempo esperado, então eu mesmo zerava meu exercício e ia buscar melhorar isso. E digo para vocês só aprende quem pratica. Saber só inglês não é o suficiente não. Outro ponto é que eu estudei a estrutura do exame e mesmo assim tive dificuldades na prova, acho que explorei pouco em casa. Mas, conhecer como é o exame é importante. Por exemplo, pratiquei só dois simulados de Reading dois dias antes do exame, e no dia tive dificuldades em resolver as questões a partir da 35. Pois, são as mais crueis para achar a resposta. 4 semanas é um tempo pouco, acho que 2 meses seria ideal, para poder explorar bem cada parte do exame. No meu caso, não fiz nenhum curso oficial nas escolas tradicionais (eu acho caro quase R$ 2.000), comprei um curso online ($50.00 dólares) muito bom por sinal www.scottenglish.com e comprei(na Amazon, prefiro impresso) o livro da Simone que é excelente. Para vocês terem ideia, o tempo era tão curto que eu não conseguir usar todo o material do ScottEnglish. Minha assinatura do curso expirou e eu não conseguir fazer todos Reading que tinha lá.

Outra coisa era meus estudos para writing eu criei uma técnica de como escrever rápido e focado, pelo visto funcionou. Tanto para essay/letter eu olhava o que era e daí em qualquer espaço da folha de rascunho fazia colocava KEY-NOTE e ali ia colocando em sequencia as palavras chaves daquele assunto.

Exemplo:

Key-note: para um letter de despedida dos amigos

  • good experience

  • our parties and travels

  • mother is sick

  • serious problem in my family

  • phone contact

Eu reserva 2min para montar o key-note para o letter e 4-5min para o essay. Era o tempo que tinha para pensar nas palavras chaves para ir escrevendo. Isso foi fundamental porque ia olhando o key-note e conseguia ir montando os paragrafados conectado cada key-note, às vezes descartava alguns, porque não fazia sentido. Porém o foco era, ir anotado o que eu conseguir pensar na primeira vez que meu cérebro viu o assunto e deixar ele ir anotando por mim :). O resultado que ganha confiança para escrever sobre qualquer tema e o mais importante escrever com introduction/body/conclusion. Isso é required para quem vai analisar. Escrever sem ordem mesmo com uma boa gramatica, certamente vai comprometer seu writing.

Enfim, digo que foram as 4 semanas mais tensas que pude ter, mas gostei. Boa experiência.

Investimento

Quanto investir nessa brincadeira?

  • Exame: R$ 450.00

  • Scott English: $50.00 dólares

  • Livro da Simone com frete: $40.00 dólares (tive que pegar com frete na Amazon de 5 dias e paguei mais caro).

Minha Experiência

Aqui vou contar minha experiência com o exame. Realmente é um exame desafiador. Não é bicho de 7 cabeças, mas o candidato precisa mostrar o quanto ele sabe inglês no menor tempo possível, ou seja, raramente tu consegue revisar algo, é escrever e responder tudo de primeira. Fora a pressão que você sofre. Essa foi minha percepção. Cheguei cedo no exame 15-30min antes do horário. Não chegue atrasado, eles são pontuais. A parte de Listening é que tem mais pressão, porque se você ficar distraído ou perder a concentração não é difícil perder 2,3 etc questões em sequência. O reading foi cansativo, os textos eram enormes e não dava para ler de fato, mas respondi tudo. Nunca chute por achismo, a resposta sempre está no texto, e use de lá se quiser chutar. Speaking foi tranquilo, o assunto foi bom, falar da minha vida e carreira profissional, confesso que tinha receio se fosse para discutir algum problema social ai é osso(no meu caso). Toda entrevista tem 11-15min então você tem que explicar as coisas bem para o examiner se você começar a ficar perdido ele passa para a pergunta seguinte e você tende a ficar mais nervoso, porque ele já passou a diante e você não explicou direito. Writing: Foi bem tranquilo pratiquei bastante e fiz com tempo sobrando para revisar, que nesse caso peguei vários erros e ainda melhorei a explicação.

Enfim, foi uma experiência, consumiu todo sábado, de manhã foi a entrevista e de tarde o restante. Dica, não coma nada pesado. Eu almocei um sanduíche natural e um suco e levei uma barra de cereal para “beliscar” no meio do exame.

Outra coisa que vi, foi uma candidata chorar na sala. Pelo visto ela não praticou. E inventou de ler todo o reading e responder no caderno de rascunho, quando faltava 10min foi tentar passar, as respostas para o answer sheet. Coitada nem deu tempo de começar direito. Time out. E você não pode escrever mais nada. Nem tente.

Meu Objetivo com o exame

O objetivo mesmo era conhecer o exame, eu descobrir por acidente que teria a prova em dezembro, acho que 2 dias antes de fechar as inscrições. Dai fui la e fiz, só para conhecer a prova. Eu sabia que a próxima seria em março/2012. Pois, o exame acontece a cada 3 meses. Mas, quando vi essa de dezembro resolvi fazer, não tenho nada a perder mesmo.

Passar no Exame

Alguns ficam perdido nessa parte. O que significa passar no IELTS? Depende de quantos pontos você precisa ter para tentar o visto. Há pessoas que precisam apenas tirar 6 e outras 9(nota máxima). No meu caso preciso tirar 8. Que é uma nota bem difícil de tirar para quem não é fluente no idioma. Mas, porque eu preciso de 8? Há vários fatores, um deles é a idade. Tenho 24 anos, isso não ajuda muito não. Uma pessoa com 26-30 anos, ganha mais pontos e isso diminui o score no exame. Porém, há outros fatores: tempo de formado, tempo de experiência profissional para a profissão que deseja submeter etc. Cada profissão tem seu peso. Então tirar 7 você passou exame, mas não necessariamente atingiu os pontos necessário para tentar o visto. Exemplo, se você tira 7 tem pontos X. Quem tira 5 tem pontos Y. No meu caso um agência de migração que fez essa analise. Mas, você pode ver como os cálculos são feitos no site do consulado. Eu preferir que agência verificasse, porque eles analisam com cuidado todas as informações que você envia e dai o retorno dele é mais garantido do que eu ir no site do consulado e tentar fazer o cálculo com base na explicação que tem lá.

Eu estou ciente que não passarei tirando 8, mas o meu objetivo n era esse, eu apenas arrisquei e também queria conhecer o exame. Quem sabe daqui a dois anos quando tiver mais velhinho, eu tente novamente? Dai já sei como é a prova e isso vai ajudar. Outro detalhe, tentar o visto é ter uma média de uns 15 mil reais disponível para perder/ganhar (visto). Caso for fazer com agência sai nessa média. Mas, tem  custo indireto, o deslocamento para ir fazer os exames médicos etc. E como posso perder? Simples, tudo é classificatório ou eliminatório. Vá que você tenha algum problema de saúde e descobre no exame desses apenas? O dinheiro investido é perdido, ng vai ti devolver. Se você atrasar com a entrega de alguns docs, esqueça. Porque o consulado só dá retorno para agências credenciadas à ele. Se você quiser falar com eles, terá que agendar um horário e o número de atendimento é limitado por dia. Então já viu que não é tão fácil assim né?.

E por que eu pensei em querer ir para fora do Brasil?

Bem, até engraçado responder essa pergunta. Mas, algumas coisas não sabem quando tomam essa decisão. Apenas querem ir, porque muitos amigos já foram ou estão lá. Eu particularmente porque quero ter essa experiência de morar por um tempo em um outro país. Sei que isso vai contribuir na minha carreira profissional e pessoal. Não posso negar que o segundo motivo é $$$. Na minha área principalmente há uma carência global de profissionais e fora do Brasil os salários chega a ser 3x maiores que aqui. E não é conversa. Mas, não se esqueça que tudo depende da qualificação, quanto mais qualificado mais você vale no mercado e tem empresas dispostas à pagar por isso, pode apostar. E ser bem qualificado não é para todos. Qualificado não está alinhado a um diploma, certificado ou qualquer outro papel desses. Há outros aspectos mais importante . E ser qualificado leva tempo, precisa ser persistente,ter disciplina etc. Não se constrói um bom império da noite para o dia.

Desistir?

Quem falou isso? Foi um teste para “medir a temperatura”. E saber como eu estou e com base no resultado (em janeiro/2012) eu vou saber o quanto eu preciso melhorar para atingir um nível aceitável para migrar. E depois eu parei e pensei. Puts, esse processo não está testando apenas meu inglês e sim meu perfil profissional. Se eu preciso de uma nota mais alta no exame, é porque preciso ainda ficar mais tempo aqui no Brasil, adquirir mais experiência antes de migrar. E isso é fundamental. Porque não adianta eu migrar se não estou preparado. O processo de migração para quem está preparado já deve ser sofrível. Imagine para quem não tá? E sem falar que migrar não pegar um ônibus e voltar para casa porque acordou de mal humor. Não é bem assim. Enfim, tudo depende de como você olha e reflete com o resultado eu costumo sempre ter um olhar além do obvio. Ir além e entender o por que?!.

Meu material de Estudo

 

note: Quem tiver interesse em adquirir o livro da Simone, eu tenho um exemplo embalado com nota fiscal. O motivo que comprei dois sem querer. Valor R$ 35.00

Bom, pessoal essa ai foi minha experiência e o motivo que as aranhas tomaram conta do blog. Só esperar o resultado e ver o que acontece.

Vou ficando por aqui, realmente o post ficou grande, mas não tive como fugir.

Abracos, Depois de 1 mês longe do meu mundo nerd, estava entrando em depressão já :).