Top Posts

Instalando OpenJDK no Ubuntu

Continue lendo

Carreira IT: Investindo em previdência Privada

Posted by camilolopes | Posted in Carreira TI | Posted on 04-10-2013

0

 

Olá Pessoal,

No post de hoje vou falar sobre investimento em previdência privada. Muitas empresas oferecem como benefício o investimento em previdência privada por uma seguradora da empresa. E ainda tem mais uma vantagem, todas as taxas são pagas pela empresa. Veremos no post a seguir como usar esse beneficio a favor e outras formas rentáveis que podem ser feitas em paralelo  para previdência privada.

Lets go…

 

Previdência Privada

Sabemos que na previdência  tradicional, ou seja, aquela oferecida pelo governo federal há um teto de vencimento e que certamente para quem recebe salários acima de R$ 4 mil reais passa a não ser vantagem se aposentar apenas com ela, pois quando estiver mais velho quer manter o mesmo padrão de vida e ainda deve considerar os problemas de saúde que aparecem por uma questão natural da vida. Muitas empresas, principalmente as de grande porte, oferecem o beneficio de o funcionário contribuir com X% do salário em uma previdência privada e ela deposita a mesma quantia que o funcionário contribuiu. Tudo isso sem pagamento das taxas cobradas por toda instituição nesse tipo de investimento, ou seja, a empresa vai pagar por elas.  Isso é uma grande vantagem para quem pensa a médio e longo prazo, pois obteve um rendimento sem taxas.

E se eu sair da empresa?

Cada uma tem uma política, há empresas que falam: “se você sair antes de três anos, não tem direito em resgatar o dinheiro que eu contribuí”. Há outras que dizem “ao sair você não pode continuar contribuindo e tem que resgatar o valor que você contribuiu”. Enfim, isso vai da política de cada empresa e você precisa ler o contrato para saber o que fazer quando sair.

Há seguradoras que permitem você manter as contribuições, que sempre é o mais vantajoso. Resgatar o valor sempre tem custo, taxas, IR, etc. A vantagem de manter o investimento é que normalmente você terá apenas a taxa de administração a ser pega, enquanto o mesmo plano por instituições bancarias grandes, há duas taxas: a de administração e outra de carregamento.

  • Taxa administrativa é um percentual anual que o gestor (instituição) recebe pelo  trabalho de administrar os recursos;
  • Taxa de carregamento: serve para arcar com os custos da empresa que administra a aplicação e o valor é sobre as contribuições. Exemplo:

 A cada R$ 1.00 investido, apenas uma parte é investida, a outra fica para arcar com os custos da empresa. Se a taxa é de 1% (algo muito difícil) e você contribuiu para sua aposentadoria R$ 100,00, na verdade você investiu R$99.00, pois R$ 1.00 ficou para instituição.

O Impacto

Quanto maior as taxas, menor a rentabilidade.

O ideal

  • Há seguradoras que não cobram taxa de carregamento, esse é o ideal;
  • Taxas de administração menores que 2% a.a;

Então, se você trabalha em uma empresa e a mesma oferece a opção de previdência privada, não pense duas vezes em obter o benefício, e veja se, caso saia, é possível manter o plano com as taxas menores que as dos bancos tradicionais.

E se a empresa que trabalho não oferece previdência privada?

Se sua empresa não oferece o beneficio, não precisa ficar triste, investir no título público NTN-B Principal é outra forma de fazer a previdência privada. Os títulos desse tipo são para investimentos à longo prazo com boas rentabilidades.

Reserve entre 5-10% do seu salário para este tipo de investimento e aprenda a viver com os 90-95%, seja para realizar outros investimentos ou para seus custos mensais.

Essa era a dica de hoje, espero que tenham gostado.

Vou ficando por aqui…

See ya!! 

Minha Experiência usando a educação Financeira & Carreira TI

Posted by camilolopes | Posted in Carreira TI | Posted on 30-09-2013

5

Olá Pessoal,

A partir de hoje estarei dando inicio a uma série de post que não é tão comum em blogs técnicos como o meu. Vou falar sobre o impacto da educação financeira dentro da nossa área, ou melhor, carreira. Sabemos que a educação finaeira é importante de qualquer modo na nossa vida, e quando sabemos aplicar dentro da nossa área ai se torna mais poderosa. Não sou especialista em finanças, muito menos no mercado sobre investimento, mas desde quando deixei a casa dos meus pais, aos 17 anos, tive que aprender a lidar com dinheiro de maneira inteligente. Aprendi algumas coisas e uma delas foi: “Não importa o que quanto você ganha, o mais importante é o que você faz com o dinheiro que ganha”. Demorei para aprender isso. A cerca de dois anos conheci o blog www.queroficarrico.com.br, do Rafael Seabra, e digo que aprendi e aprendo bastante, a linguagem usada pelo autor é uma das melhores que já encontrei na área de finanças, economia e investimentos.

A minha ideia nada mais é que compartilhar com vocês a experiência que venho adquirindo ao longo dos anos.

lets go…

Meu caso

Bem, eu sempre aprendi em casa que deveria poupar  X% do meu recebimento liquido e me virar com o que sobrava para pagar as contas básicas, investimentos, etc.  Sempre tive isso forte no meu ambiente familiar e que mais na frente me ajudou muito, pois adquiri essa disciplina e se por algum motivo inesperado em um determinado mês eu não conseguisse  poupar o tal do x%, me sentia muito mal e  ficava pensando em como equilibrar e recuperar aquela situação nos próximos meses, talvez diminuindo custos desnecessários e buscar fazer o x% mínimo se tornasse x + x % ,ou seja, dobrasse o valor. E foi com esse conhecimento que sai de casa aos 17 anos e fui para o mundo, onde este me ensinou de maneira nem sempre agradável que não é tão simples ter o x% disponível quando tomamos decisões erradas ou não planejadas. E o resultado sempre é uma perda. Aprendi também que com disciplina, planejamento e paciência consigo alcançar novos caminhos e atingir objetivos pessoais e profissionais de maneira mais segura. E após ter apanhando bastante, lembro como se fosse hoje, na época da faculdade trabalhava em uma empresa e recebia o salário aproximo de R$1 mil reais, mas esse era o valor bruto. Daí vinham os descontos, e rendia uns R$ 700.00 liquido. E matematicamente o que parecia impossível, buscava formas de como eu poderia usar esse valor de maneira inteligente, e o mais desafiante de tudo é que eu não poderia errar, porque não tinha margem para isso. Já era pouco e ainda se eu errasse e perdesse grana era pior ainda. E por está fora de casa, não queria solicitar ajuda dos meus pais para atingir meus objetivos, pois coloquei na cabeça que a partir dos 17 anos queria seguir por mim mesmo.

E pouco tempo depois (media de 1 ano de investimento), transformei esse R$ 700.00  em um salário inicial de R$ 3.000,00 liquido. Como? Investi em conhecimento, onde sei que coragem de investir e sabia que havia uma carência no mercado: o english. Mas não um curso qualquer de inglês ou em uma escola mais barata. E sim a que oferecesse uma qualidade no ensino. E não queria aula em turma, pois  já havia tentado e foi um fracasso. Simplesmente não era bom para mim, já que sou tímido, então optei em investir em aulas particulares que custava R$ 50,00-70,00/hr aula(na época) e que era muito caro  para o salário que tinha, mas não tive escolha e arrisquei, pois era o único tipo de investimento que tinha disponível, onde ia depender da minha dedicação e disponibilidade para atingir o objetivo, enquanto outros investimentos tradicionais era sempre uma variável. Claro que tive pessoas que me ajudaram, como a própria escola. Contei para eles a minha situação e o objetivo pelo qual eu gostaria de fazer o curso.

O Diretor da escola, não era um empresário focado apenas na rentabilidade, ele queria alunos para fazer a diferença e de fato aprender. E como ele viu o meu objetivo, ajudou para que eu fizesse o curso e fosse dividindo em parcelas mais longas sem juros. E isso fez uma grande diferença. Após um ano de curso já via o efeito com o idioma, mas ainda não estava apto para entrar no mercado, meu objetivo era 2 anos para chegar a um nível aceitável de tentar uma entrevista.  Mas o destino veio e se antecipou, surgiu uma oportunidade para trabalhar em um projeto internacional e óbvio que a entrevista era em inglês. Não queria fazer, mas meu professor insistiu:

“você vem investindo bastante, faça para ter um feeling e ver se o investimento está valendo. Você já sabe que as chances de passar são poucas devido ao inglês, mas não custa tentar”.

Ele quis me alertar para não criar falsas expectativas e de no final ficar deprimido se não passasse. Mas o que aconteceu é que passei e veio a proposta salarial de R$ 3.000 liquido. Daí eu me perguntei:

“qual investimento em 1 ano aumenta de R$700.00 para R$ 3.000? Eu não conheço nenhum”.

Mas houve uma exceção assumir o compromisso com o pessoal do projeto de que em 3 meses eu estaria com o inglês melhor que o da entrevista, e o acordo era que se eu não estivesse, certamente ia ser difícil me manter por lá. E atingir esse objetivo em um processo de imersão que fiz. Posso dizer que foi uma mistura de ter acreditado no investimento, ter conhecido pessoas que puderam me ajudar e acreditaram que eu atingiria. Mas, se eu não tivesse um pouco de educação financeira, talvez teria “torrado” o salário que ganhava, pois algumas pessoas só pensam em poupar quando passarem a ganhar muito. Poderia ter me endividado, como alguns colegas que tiraram o “peso” da faculdade das costas, acharam que ficaram ricos, compraram carro novo etc, mas esqueceram que é financiado e com juros. Independente da taxa, é um juros que o banco leva e que se for calculado dentro de um período é capaz de pagar um intercâmbio de um mês. 

Tudo isso apareceu como tentação para mim, porém busquei unir a razão com meus objetivos e ignorar todas elas, o que não é uma tarefa tão fácil assim(já que na época tinha apenas 21 anos).

Bom, vou ficando por aqui com o primeiro post contando um dos cases que tenho na minha vida de como unir educação financeira e investimento na carreira. É praticamente como dobrar o valor do investimento que se faz em si mesmo. E a lição que ficou foi que não há nada mais rentável que o conhecimento.

E você, o que tem feito com a grana que chega até você mensalmente? Comente sua experiência…

Abraços, see ya!!